quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

150) Felicidade (ótima mensagem!)


Felicidade

     - Existe a felicidade? Será ficção ou realidade? 
     Se não existe, porque tem sido essa a aspiração de todas as gerações através dos séculos e dos milênios? Já não seria tempo de o homem desiludir-se?
     Se existe, porque não a encontram os que a buscam com tanto empenho?
Que nos responda o poeta:
     - "A felicidade está onde nós a pomos; e nunca a pomos onde nós estamos".

     Eis a questão. A felicidade é um fato desde que a procuremos onde realmente ela está, isto é, em nós mesmos.
     O desapontamento de muitos com relação à felicidade, desapontamento que tem gerado incredulidade e pessimismo, origina-se de a terem procurado no exterior, onde ela não está...
     Origina-se ainda de a suporem dependendo de condições e circunstâncias externas, quando todo o seu segredo está em nosso foro íntimo, no labirinto dos refolhos de nosso ser.
     O problema da felicidade é de natureza espiritual. 
     
     Circunscrito à esfera puramente material, jamais o homem o resolverá. O anseio de felicidade que todos sentimos vem do Espírito, são protestos de uma voz interior.
     O erro está em querermos atender a esses reclamos por meio das sensações da carne e da gratificação dos sentidos. Daí a insaciabilidade, daí a eterna ilusão! 
     O fracasso vem da maneira como pretendemos acudir ao clamor do Espírito.      Ao rufiar de asas, respondemos com o escarvar de patas.
     A ideia da felicidade é tão real como a da imortalidade: aquela, porém, como esta, diz respeito à alma, não ao corpo. 

     Ao Espírito cumpre alcançar a felicidade que está, como a imortalidade, em si mesmo, na trama da própria vida, dessa vida que não começa no berço nem termina no túmulo. A felicidade, neste mundo onde tudo é relativo, não exclui o sofrimento. Mesmo na dor, a felicidade legítima permanece atuando como lenitivo.
     De outra sorte, sofrer durante certo tempo e ver-se, depois, livre do sofrimento, já não será felicidade? 
     O doente que recupera a saúde e o prisioneiro que alcança a liberdade já não se sentem, por isso, felizes? A saudade que nos crucia, não se transforma em alegria quando, novamente, sentimos palpitar, bem junto ao nosso, o coração amado?
     Não é bom sofrer para sentir alegria? 

     E' assim que, muitas vezes, a felicidade surge da própria dor como a aurora irrompe da noite caliginosa.
      O descanso é um prazer após o trabalho; sem este, que significação tem aquele? 
     - Assim... a felicidade. 
     Ela representa o fruto de muitos labores, de muitas porfias e de acuradas lutas. Vencer é alcançar a felicidade. Podemos, acaso, conceber vitória sem refregas? Quanto mais árdua é a peleja, maior será a vitória, mais saborosos os seus frutos, mais virentes os seus louros.

     Para a felicidade fomos todos criados. "Quero que o meu prazer esteja em vós, e que o vosso prazer seja completo." As graças divinas estão em nós, mas não as percebemos. 
     A vida animalizada que levamos ofusca o brilho da luz íntima que somos nós mesmos. 
     Vivemos como que perdidos, insulados, ignorando-nos a nós próprios.      
     Encontrarmo-nos e nos reconhecermos como realmente somos — eis a felicidade. Fugirmos da espiritualidade é fugirmos de nós mesmos. 
     Querendo fruir prazeres sensuais, adulteramos nossa íntima natureza, resvalando para o abismo da irracionalidade. Desse desvirtuamento vem a dor, dor que nos chama à realidade da vida e nos conduz à felicidade.

     A alegria de viver é consequência natural de um certo estado de alma, e significa viver profundamente .
     "Eu vim para terdes vida e vida em abundância". 
     A verdadeira vida é sempre cheia de alegria; é um dia sem declínio, um sol sem ocaso. O céu é a região da luz sempiterna. A ele não iremos pela estrada ensombrada de tristezas, luto e melancolia. 
     O caminho que conduz à felicidade, resolvendo os problemas da vida, é estreito: não é escuro, nem sombrio. Estreito, no caso, significa difícil, mas não lúgubre.
     A alegria de viver nasce do otimismo, o otimismo nasce da fé. Sem fé ninguém pode ser feliz. Sem fé e sem amor não há felicidade.

     As virtudes são suas ancilas. Haverá felicidade maior que nos sentirmos viver no coração de outrem?
     -  "Pai, quero que eles (os discípulos) sejam um em mim, como eu sou um contigo." A fusão de nossa vida em outra vida é a máxima expressão da ventura. 
     O egoísmo é o seu grande inimigo. Alijá-lo de nós é dar o primeiro passo na senda da felicidade.
     Sendo a felicidade resultante de uma série de conquistas, é, por isso mesmo, obra de educação.
     Através da auto-educação de nosso Espírito, lograremos paulatinamente a felicidade verdadeira.

     O reino de Deus — que é o do amor, da justiça e da liberdade — está dentro de nós, disse Jesus com o peso de sua autoridade. Descobri-lo, torná-lo efetivo, firmar em nós o império desse reino, vencendo os obstáculos e os embaraços que se lhe opõem — tal é a felicidade.
     Para finalizar, concedamos a palavra a Leon Denis, o grande apóstolo da Nova Revelação:
     Como a educação da alma é o senso da vida, importa resumir seus preceitos em palavras:
     Aumentar tudo quanto for intelectual e elevado. Lutar, combater, sofrer pelo bem dos homens e dos mundos. Iniciar seus semelhantes nos esplendores de verdadeiro e do belo. 
     Amar a verdade e a justiça praticar para com todos a caridade, a benevolência tal é o segredo da FELICIDADE, tal é o Dever, tal é a Religião que o Cristo legou a Humanidade.

(Vinícius. In: Em Torno do Mestre)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...